domingo, 31 de outubro de 2010

DILMA PRESIDENTA DO BRASIL!!!


(esta foto eu peguei do Cloaca News)


O BRASIL ESCOLHEU CONTINUAR APOSTANDO NO FUTURO!!!

HOJE É O DIA DA VITÓRIA COM DILMA!



Hoje é o grande dia! Dia do Brasil continuar mudando. Dia de defender e aprofundar os avanços sociais do governo Lula. Dia de garantir o Bolsa Família. Dia de garantir o Minha Casa, Minha Vida. Dia de garantir o PROUNI. Dia de garantir o Pré-Sal como riqueza a serviço do povo brasileiro. Dia de garantir o PAC. Dia de garantir a expansão do emprego. Dia de garantir o futuro do Brasil. Dia de orgulho e emoção.


DIA DE ELEGER DILMA A PRIMEIRA MULHER PRESIDENTE DO BRASIL!!


TOD@S ÀS URNAS!!

sábado, 30 de outubro de 2010

BISPO CATÓLICO APÓIA DILMA

O PAPA E A POLÍTICA - DOM LUIZ CARLOS ECCEL

"Já havia lido o discurso do Papa Bento XVI, aos Bispos do Maranhão, em visita ad limina apostolorum. Muito interessante o discurso do Papa. Ele não pode deixar de cumprir sua missão de Pastor Universal, exortando o Povo de Deus, especialmente no que diz respeito à defesa da VIDA.

O Santo Padre foi muito oportuno e feliz nas suas colocações, porque o Estado Brasileiro é laico, mas seu povo é religioso, e isto precisa ser respeitado. Quando digo que o povo é religioso é porque está disposto a fazer a Vontade de Deus e não somente dizer: Senhor, Senhor..., como às vezes se pretende, de maneira especial dentro da própria Igreja. Existem facções sociais, políticas e religiosas especializadas em fazer lavagem cerebral, deixando as pessoas sem convicções, mas com obsessões, e com a consciência invencivelmente errônea. Ficam semelhantes aos grãos de pipoca que levados ao fogo não estouram, e com mais fogo, mais duros ficam. Tornam-se donas da “verdade”. Estão até manipulando o texto do Papa, para justificar a sede do poder. (cf.http://www.releituras.com/rubemalves_pipoca.asp)

É a Vontade de Deus que nos salva e não a nossa, e sobre isto precisamos sempre nos exortar mutuamente, como diz o Apóstolo São Paulo. Portanto, que nossa fé seja sempre vivificada pela mútua exortação. Pode ocorrer de nos esquecermos que somos todos peregrinos caminhando para a Casa do Pai, e quando lá chegarmos, poderemos ouvir de Jesus o seguinte: “Afastai-vos de mim, vos que praticastes a injustiça, a maldade” (Lc13,27). Creio que ninguém vai querer ouvir isto naquela hora. Seu passaporte está em dia?  Pode ter certeza de que a eternidade existe... Assim, busquemos alimentar nossa fé, sem esquecer, como diz o Papa, que ela deve implicar na política. A fé sem obras é morta, diz a Escritura Sagrada. E uma das obras que deve provir da fé, é o nosso voto consciente em pessoas que vão governar para o bem comum, respeitando a vida em todas as suas etapas e dimensões.

No mesmo dia em que li o discurso do Papa, assistindo ao telejornal, à noite, escutei o pronunciamento da candidata e do candidato à presidência do Brasil a respeito do discurso do Papa. Ambos concordaram com as Palavras do Papa, dizendo que é missão dele exortar para uma vida coerente com os valores da fé e da moral, e que as palavras do Papa valem para todas as pessoas de fé, no mundo inteiro.

O Papa falou, também, que o voto deve estar a serviço da construção de uma sociedade justa e fraterna, defensora vida.

Como Bispo da Igreja Católica, e como cidadão brasileiro, fico feliz por saber que nosso Presidente tem defendido a vida, e sempre se pronunciou contra o aborto. Nesses últimos anos o Brasil tem crescido e melhorado em todos os aspectos, de maneira especial no respeito à vida e a valorização da dignidade humana. Esta é a Vontade de Deus! E as pessoas, em plena posse de suas faculdades mentais, vão reconhecer esta verdade.

Nosso país está em pleno desenvolvimento e assim queremos continuar e, depois de 500 anos, nosso povo quer eleger, pela primeira vez, uma mulher que tem compromisso com a vida e provou isso com sua própria vida. Como? Ela não fugiu para o exterior durante a ditadura, mas a enfrentou com garra e, por isso, foi presa e torturada. Ela queria um país livre, e que todas as pessoas pudessem viver sem medo de serem felizes, vencendo a mentira e o ódio com a verdade e o amor, servindo aos ideais de liberdade e justiça, com sua própria vida. Disse Jesus: “Ninguém tem maior amor do aquele que dá a própria vida pelos irmãos” (Jo 15,13).

Obrigado Santo Padre por suas sábias palavras! A Dilma é a resposta para as nossas inquietações a respeito da vida. Quem sofreu nos porões da ditadura, não mata. Mas teve gente que matou a vida no seu ventre para fugir da ditadura, e portanto não deveria se comportar como os  fariseus, que jogam pedras, sabendo-se pecadores. E Jesus disse: “Quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la, e quem entregar sua vida por causa de mim, vai salvá-la”(Mt 10,39)

Vamos fazer o nosso Brasil avançar ainda mais, com Dilma, que já provou ser coerente, competente e comprometida com a VIDA. O dragão devastador não pode voltar ao poder.
Deus abençoe os leitores e eleitores, governos e governados. Saúde e paz a todos (as)!

Tudo o que você me desejar, eu lhe desejo cem vezes mais. Obrigado.

Caçador, 28 de outubro de 2010

Dom Luiz Carlos Eccel
Bispo Diocesano de Caçador"



(transcrito do #dilmanarede)

BRINCADEIRA PARA O DOMINGO


charge do Hals, surrupiada do Sul21

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

BENTO XVI, O ÚLTIMO CABO ELEITORAL DE SERRA

A coisa é nojenta, repugnante. Sabendo de antemão a data e a hora do seu passamento político, Serra conseguiu mobilizar a TFP, a seção tupiniquim da Opus Dei e o clero católico reacionário para obter do ex-integrante da juventude nazista que hoje prega moral de batina branca em Roma e protege padres pedófilos,  uma providencial sessão de conselhos a bispos do Maranhão, afirmando que estes devem orientar politicamente os fiéis católicos.

Pois Bento XVI, "coincidentemente" a três dias de uma eleição em que o tema do aborto fulgurou pela boca da turma que clama pela volta da Idade das Trevas, fez estas declarações sob encomenda: "O vosso dever como Bispos junto com o vosso clero é mediato, enquanto vos compete contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna. Quando, porém, os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas. (...) Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático - que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana - é atraiçoado nas suas bases. Portanto, caros Irmãos no episcopado, ao defender a vida não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambiguidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo".

Quem adivinhar o endereço das declarações do Papa ganha uma medalhinha de Santo Expedito, o das causas impossíveis.

Na verdade, as declarações acima corroboram a ação do bispo panfleteiro de Guarulhos, colocando gasolina no tanque do medievalismo de parte da Igreja Católica brasileira que fecha os olhos para os graves problemas de saúde pública decorrentes da pratica do aborto em clínicas clandestinas que colocam em risco a vida das mulheres.

Para poupar trabalho, se herr Ratzinger quisesse, de fato, ajudar Serra, deveria enviar uma extrema-unção à sua candidatura, que já está com o pé na kalunga há dias. Seria algo mais condigno com os ideais cristãos do que tentar se intrometer na eleição alheia.


Leia a pérola, na íntegra, aqui (Estadão)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O SEGUNDO TURNO SERÁ A PÁ DE CAL EM SERRA

Fim da linha
(foto: IstoÉ)
No debate de segunda-feira, Serra estava cinzento, abatido. Tirado o cansaço que toma os candidatos nesta fase final de campanha, sua figura já era a de um derrotado.

Constatando que não teria como enfrentar o sucesso do governo Lula, que teve em Dilma exatamente a condutora dos seus principais programas, a campanha de Serra - ele à frente - decidiu pelo caminho sujo, ou seja, impossibilitado de enfrentar a petista no terreno programático, partiu para a tentativa de desqualificá-la a qualquer custo, bem como ao governo mais bem sucedido da história do Brasil.

Uma decisão desta natureza é extremamente perigosa pois, uma vez tomada, ela desconhece limites e tudo passa ser possível. É a porta para o terrorismo.

Assim, a campanha de Serra passou a lastrear-se em denúncias contra o governo Lula tentando, mentirosamente, ligar Dilma aos fatos jogados ao vento. E o que é pior, sem apresentar NENHUMA prova contra a candidata do PT.

O sucesso da empreitada difamatória estava diretamente ligado ao apoio maciço, quase monolítico, que a fábrica de acusações sem provas contra Dilma recebeu da maior parte dos grandes grupos da anacrônica mídia brasileira, alguns se transformando em verdadeiros arautos da candidatura regressista. Desafiados por Lula, somente uma empresa manifestou - mas somente depois disso - o seu apoio a Serra.

Passada a decisão do pleito para o segundo turno, e certamente animados com o resultado, mal sabiam eles que esta prorrogação consolidaria a liderança da Dilma e desmascararia Serra e tudo o que ele realmente está representando nesta eleição.

Primeiro, o explicitamento do caráter de extrema-direita da candidatura demotucana, revelado ainda no primeiro turno com a remessa da discussão sobre o aborto para o centro do debate eleitoral, com relevo para a acusação, por parte de Mônica Serra, de que Dilma era a favor de "matar criancinhas".

Depois, juntamente com a performance do bispo panfleteiro, representante da ala mais reacionária da Igreja Católica, ressurge a TFP, entidade há muito mumificada pelo esquecimento e desprezada pelo seu passado reacionário e golpista. Na mesma esteira vieram representantes dos setores mais atrasados do neopentecostalismo.

A seguir entra em cena Paulo Preto, o "companheiro ferido" que Serra voltou correndo para recolher na estrada e que passou a ser um fantasma sobre ele e os tucanos, espectro este aumentado pela denúncia de que a divisão de lotes para a expansão do metrô de São Paulo estava acertada antes mesmo da licitação. Descobriu-se ainda que a verdadeira história da quebra dos sigilos fiscais teve nascedouro na disputa entre Serra e Aécio Neves pela candidatura à presidência.

Mais adiante, a tentativa de manipulação grosseira no ridículo caso da bolinha de papel na qual Serra, com a ajuda descarada e vergonhosa da Rede Globo, tentou posar de vítima. Pegada na mentira pelas imagens cristalinas do SBT, a outrora "vênus platinada" teve que se socorrer da montagem de um reles filminho de telefone celular para justificar a mentira grosseira que tinha veiculado para dar uma "mãozinha" para o seu candidato inconfesso.

Sem propostas de governo concretas, Serra passou a realizar promessas demagógicas, dentre elas o 13° para o Bolsa Família e o salário mínimo de 600 reais, demonstrando a sua incapacidade em oferecer alternativas viáveis para a melhoria da vida dos brasileiros. Na verdade - e isto foi confirmado pela indiscrição de seus assessores na área energética - seu grande projeto era a entrega do pré-sal aos grandes grupos privados internacionais.

Este quadro monstruoso provocou uma reação sem precedentes da sociedade brasileira: artistas, intelectuais, profissionais da saúde, servidores públicos, professores, mulheres, religiosos, estudantes, movimentos sociais, juristas, esportistas, sindicatos, representantes de forças políticas que não estiveram com Dilma no primeiro turno e entidades as mais diversas estão se alinhando em defesa da democracia, da preservação das conquistas sociais e do patrimônio do povo brasileiro, seriamente ameaçados pela candidatura do atraso.

Neste domingo, uma nova página vai ser virada na vida pública brasileira. A velha forma de fazer política, sem propostas sinceras e que se move no lodo da baixaria, da demagogia e dos interesses inconfessáveis vai ser repudiada novamente, como já o fora em 2002 e 2006.

E Serra, seu líder pela segunda vez receberá, definitiva e merecidamente, a pá de cal na sua carreira política. Bendito segundo turno.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

RISCO DE TUMULTO NA PASSEATA DE FHC?

transcrito do blog "Escrevinhador"

"Hoje, recebi de Fernando Macedo o seguinte relato.
Sou morador de São Paulo do bairro Santa Cecília, que fica próximo a avenida São João, e ontém ouvi duas pessoas em um bar que fui nesta avenida, falando baixinho ( até certo ponto ), sobre a armação que tá sendo criada para o dia 29 de outubro.
Segundo estas pessoas um número x de camisas foi mandada ser feita com a insignia do PT, a estrelinha, e muitas pessoas vão estar na passeata que FHC promove neste dia, o 29 de outubro, criando um badernaço sem igual e que terá grande mídia cobrindo, com estas camisas sempre aparecendo.
Falavam as duas pessoas que toda a grande mídia já sabe deste fato, e que isso quer fazer as pessoas pelo JN dar cobertura, e outras mídias também, de isso fazer o voto mudar, por sentimentalismo das imagens demonstradas, como eles falavam, de total vandalismo no centro de São Paulo, por parte de petistas.Serão apresentadas muitas pessoas ensanguentadas.
Escrevi para o Blog do Altamiro Borges, e estou escrevendo para quem pode fazer alguma coisa, no sentido de nos reunirmos e fazermos uma vigilia pública em local também público de São Paulo, por que o PSDB vai querer colocar fogo nas eleições, desacreditando a Dilma. Desacreditando no PT.
E preciso que alguém me ajude nisso.
Temos que colocar um local no centro de São Paulo, permanentemente visivel para todos, para que possamos fazer o que precisa ser feito, nesta reta final de eleições. escrevi para o Altamiro Borges no sentido do mesmo fazer um novo encontro pela liberdade de expressão, e em local público para que isso possa ser contido.
Não podemos dar bobeira alguma.
Eu ouvi estas pessoas conversando no bar e fiquei bastante preocupado, por causa de como elas tratavam disso, e pareciam saber demais para não ser verdade o que falavam.
Meu cel é: (11) 8606 XXXX
Me chamo Fernando e estou a disposição."
===

O Escrevinhador checou a informação: "Liguei para o Fernando agora há pouco. Ele existe, disse que é comerciante na região central de São Paulo. Explicou que os dois homens no bar tinham entre 35 e 40 anos – mais altos do que a média dos brasileiros. Um deles usava blazer e o outro usava jeans e camiseta."

Na verdade, não se pode descartar nada. À medida em que aproxima o dia da eleição, é possível que a direita brucutu ataque. Já fizeram isso no passado. Todos devemos ficar atentos, evitar provocações e, em casos como o acima relatado, devemos dar a maior publicidade possível, pois esta é a única arma para evitar a simulação de um conflito do qual, graças ao PIG, eles é que sairão como vítimas.

sábado, 23 de outubro de 2010

BOLINHA DE PAPEL BATE NO TSE E VOLTA À CARECA DO SERRA

"Que-time-é-teu? Bateu-na-trave-e-entrou-no-teu"

fotomontagem surrupiada do Cloaca News (sem a legenda)

Na esteira da tentativa de capitalizar politicamente com o "atentado" da bolinha de papel, cuja repercussão  máxima obtida até agora foi Serra ter virado motivo chacota também no exterior (imaginem, até os argentinos ridicularizaram Serra!), a coordenação(?) da candidatura quer mandar o Brasil direto para o inferno, resolveu levar o caso ao TSE.

Mas - novamente, que azar! - não deu certo. O ministro Eduardo Neves rechaçou o pedido de liminar feito pelos tucanos depenados afirmando que “Após ler os documentos que instruem a inicial e assistir o programa impugnado, não vislumbro, neste momento, a presença dos pressupostos para a concessão da medida liminar requerida”.

Segundo ainda Neves, “a controvérsia sobre os fatos, ou ao menos, sobre a interpretação que a eles é emprestada pelos órgãos de imprensa e pelos candidatos não permite que, neste primeiro exame, sejam os mesmos considerados sabidamente inverídicos, o que não significa reconhecê-los como verdadeiros, pois dependem do exame das provas e versões apresentadas, a ser feito no momento do exame do mérito da representação, garantindo-se, assim, que a defesa seja exercida”.

Que tem initmidade a advocacia sabe que, nos chamados tribunais superiores, não conseguir a liminar equivale a, praticamente, perder a causa. 

Serra anda com tanto azar que deveria pedir ao pastor Malafaia e ao bispo panfleteiro uma sessão de exorcismo.

Veja no Clarín: "La picardía que a Serra le salió mal".

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

CAMINHÃO COM ALIMENTOS E PROPAGANDA DE SERRA É APREENDIDO NO RS

Nem a ARENA faria melhor...

Notícia publicada no Correio do Povo, de Porto Alegre:

Veículo foi interceptado pela Brigada Militar após denúncia ao Ministério Público Eleitoral

Patrulheiros do Comando Rodoviário da Brigada Militar apreenderam, no final da tarde desta quinta-feira, um caminhão carregado com sacolas de alimentos e propagandas do candidato à presidência da República pelo PSDB, José Serra. O veículo, que foi utilizado na campanha de um candidato a deputado estadual pelo PSDB, foi interceptado junto ao Posto do Pedágio na ERS-135, entre Passo Fundo e Coxilha, devido a uma denúncia recebida pelo Ministério Público Eleitoral.

O promotor eleitoral Paulo Cirne recebeu a denúncia de que um caminhão estaria percorrendo a periferia de Coxilha, distribuindo alimentos. Segundo as informações repassadas ao promotor, junto com a sacola de alimentos, os beneficiados recebiam uma bandeira da campanha de José Serra. Paulo Cirne passou o alerta para o posto do Comando Rodoviário da BM com os patrulheiros interceptando o caminhão carregado ainda com várias sacolas de alimentos.

O motorista e um ajudante foram presos em flagrante por crime eleitoral e conduzidos para a Delegacia de Policia Federal em Passo Fundo."

(foto do Correio do Povo)


Comentário do Armarinho: Esta prática lembra as campanhas eleitorais da ARENA... Bem, mas para quem já tem o apoio da TFP, da Opus Dei, dos padrecos e pastores reacionários, a prática poderia ser considerada normal... Não fosse crime!

GLOBO: A HONRA POR UM FILMINHO DE CELULAR

O que vai cair na cabeça deles no dia 31 não será uma bolinha de papel...

Depois de desmascarada pelo SBT, que provou que a "agressão" a Serra não foi além de uma inofensiva bolinha de papel jogada naquela careca oca, a Globo tentou desesperadamente, nesta quinta-feira, justificar a reportagem-mentira do JN do dia anterior, afirmando que a tomada do SBT mostrando a bolinha de papel ocorreu "em outro momento", e que o candidato da Idade Média foi mesmo atingido por um rolo de fita adesiva.

Mas o pior de tudo é que, para tentar engrupir a massa, a poderosa Globo teve que recorrer, vergonhosamente, a um filminho de celular todo tremido, feito por diligente repórter da Folha, o diário oficial do tucanato-sem-caráter (eu sei, é redundância), para tentar manter a farsa de que, de fato, foi jogado na careca do Zé-Baixaria um rolo de fita.

Para tentar dar um ar de seriedade à coisa, pois eles sabiam que seria difícil de empurrar goela abaixo dos brasileiros o embuste-II, foram se socorrer de um conhecido perito-ator-de-tv que, segurando um enorme rolo de fita adesiva, que nem de longe se parece com a imagem mostrada no vídeo-tentativa-desesperada-de-salvação-da-Globo tentava, com ar professoral, enganar a todos afirmando que houve o "evento bolinha" e, depois, o "evento rolo de fita". 

No entanto, a parte da obra do cinegrafista-de-celular do carro-chefe do PIG com a qual a Globo tenta provar o "evento rolo de fita", na verdade mostra apenas uma imagem congelada e de péssima resolução, da qual até uma criança sabe que pode ser manipulada à vontade. O resultado é um atentado contra a inteligência dos brasileiros.

E para piorar a situação da Globo o SBT reafirmou, nesta quinta-feira, que acompanhou toda a caminhada de Serra e que a bolinha de papel foi a única "agressão" que Serra sofreu durante o trajeto.

Depois que a pesquisa do IBOPE confirmou os números da pesquisa "sem-vergonha" do Vox Populi (segundo Sérgio "arruda-atrás-da-orelha" Guerra), os serristas e seus protetores de ocasião (depois da derrota, ele será sumariamente descartado pelo PIG) entraram em surto, sentindo que, no dia 31, algo muito mais pesado que um "evento bolinha" vai cair na cabeça deles.

Veja o embuste da Globo aqui

Veja o SBT desmascarando de novo a Globo aqui

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

COLUNISTA DA FOLHA SE DOBRA AO SUCESSO DO GOVERNO LULA



Eles têm que se dobrar..

Por mais que a mídia golpista tente diminuir os avanços mais do que visíveis na qualidade de vida da população brasileira em decorrência das políticas desenvolvidas pelo governo Lula, que de forma competente alia política econômica, desenvolvimento e avanços sociais, mesmo os celetistas das grandes súcias de comunicação têm que admitir que o que vai decidir a eleição no próximo dia 31 é este momento inigualável na sua história que o Brasil vive (e, acrescente-se, não as  promessas demagógicas e a pesada baixaria promovidas pela turma do Serra).

Foi exatamente o que fez, hoje, na Folha, o conhecido serrista Gilberto Dimenstein. Mesmo não perdendo os cacoetes das viúvas do FHC, que teimam em dizer que tudo que veio depois se deve a ele e ainda tentar diminuir a figura de Lula na eleição, o saudosista do governo que quebrou três vezes o Brasil teve que admitir, com grande tristeza, que "O fato objetivo e sentido no bolso é que não há registro de que, em algum momento da história do país, tenha se combinado, nesta intensidade, democracia, distribuição de renda, baixa inflação e desemprego em torno de 6%."

A jogada da toalha ocorreu em razão da divulgação, hoje, pelo IBGE, que o índice de desemprego, que caiu a 6,2%, a menor desde 2002, mais um índice da competência sem precedentes na dministração pública brasileira, do governo do "torneiro mecânico iletrado", na expressão preconceituosa da elite tacanha (como é difícil para eles admitir o sucesso de quem não vem do meio deles!).

Mas é bom que comecem a reconhecer, porque dia 31 o povo brasileiro vai dizer a eles que não quer voltar ao tempo do governo somente se preocupava em vender sem o menor pudor o patrimônio público e entregou de bandeja as riquezas no Brasil, deixando de lado a população.

Leia a confissão envergonhada aqui.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

FOGAÇA E RIGOTTO DÃO BEIJO DA MORTE EM SERRA NO RS

Rigotto chegando para apoiar Serra. Fogaça vem atrás, de patinete.

Finalmente aconteceu! A pouco mais de uma semana da eleição, a dupla de até então "imparcialmente ativos"* José Fogaça e Germano Rigotto, do PMDB guasca, respectivamente os perdedores da eleição para o governo do Estado e para o Senado,  acabaram com a angústia de milhões de gaúchos, que aguardavam ansiosamente o posicionamento dos líderes da marcha-a-ré no RS para definir seus votos no próximo dia 31.

É verdade que a declaração de amor somente ocorreu depois de uma "encostada" dada por deputados do PMDB num almoço realizado ontem na capital gaúcha, mas isso não vem ao caso. O que importa agora é que eles passaram a ser "parcialmente inativos".

Mas não se afobem. Se alguém pensou que agora eles vestirão a camisa do "bolinha de papel na careca" e sairão por aí, pedindo votos para a volta à Idade Média, se enganou redondamente. Fiéis ao estilo que compartilham, Fogaça e Rigotto disseram disse que não irão para a linha de frente da campanha observando, modestamente, que "Abrirmos o voto já é uma sinalização". Diante de um sinal do além destes, os eleitores correrão para votar na Dilma! 

Falta apenas mais um ás do PMDB gaúcho abrir seu voto para o Zé-ladeira-abaixo: o inigualável "Pedro em cima do muro Simon", mas este deixará os gaúchos com os nervos à flor da pele, pois declarará o seu voto apenas no dia 31. Mais precisamente às 17h05min!!

* a "imparcialidade ativa" (a expressão é deles), mantra do "credo do muro", foi a idiotice criada por Simon, Fogaça e outros espertos do PMDB guasca, para tentar tirar uma casquinha por todos os lados na eleição presidencial. Deu no que deu.

UMA RESPOSTA DIDÁTICA PARA A QUESTÃO DO ABORTO (SUGESTÃO À DILMA)

Constata-se que, durante os debates e entrevistas, embora Dilma esclareça as duas dimensões da sua compreensão para a questão do aborto - sua posição pessoal contrária e a responsabilidade do governante diante da quarta maior causa de morte de mulheres jovens no Brasil -, a mídia e o candidato da TFP, distorcendo as posições da nossa candidata, lançam uma certa dúvida se, afinal, estas posições não seriam contraditórias.

Creio que uma solução didática seria fazer uma comparação simétrica (obviamente respeitada a diferença dos planos em que o assunto é tratado), com a forma como os cristãos tratam da questão. Explica-se.

As igrejas cristãs têm posição contrária ao aborto. Mas como elas tratam que o praticou? Segregam as pessoas, consideram-nas malditas? Não. Embora a posição frontalmente contrária, os credos cristãos recebem estas pessoas e as acolhe sob o fundamento de que todos são filhos de Deus e, como seres humanos, erram, mas o Senhor sempre oferece a possibilidade da redenção dos pecados, confortando assim as pessoas.

Ora, traduzida esta posição para o plano secular - no sentido que Dilma dá à questão - pode-se estabelecer uma simetria ente a postura cristã as  posições da candidata sobre o aborto e a forma de tratamento que o Estado deve dar a quem o pratica: em primeiro lugar, contrária à prática, mas enquanto governante, acolhendo as pessoas que chegam ao extremo de praticar o aborto (não pensem que esta decisão é tranqüila para a mulher) e oferecendo-lhes, através do sistema público de saúde o tratamento médico adequado, de forma a evitar a perda de vidas.

Estabelecendo-se esta simetria, penso que questão ficará mais compreensível  à população em geral e imune à manipulação.

CAMINHADA COM DILMA EM PORTO ALEGRE!!

imagem reproduzida do RS URGENTE


VAMOS, LÁ, GAUCHADA, QUE A HORA DE MANDAR O SERRA PRÁ CASA TÁ CHEGANDO!!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

CASAL CANALHA DA GLOBO ALIVIA SERRA NO JN

Dupla canalha do JN é toda sorrisos diante do sem-caráter...

Ao contrário do que fizeram ontem, quando tentarem manter (sem sucesso) Dilma na defensiva, o casal canalha do JN fez perguntas "ajeitadas" a Serra - aquelas que para os incautos parecem apertar o entrevistado, mas que na verdade tem a função de dar a "deixa" para a explicação adequada. Foi, mais uma vez, vergonhoso.

Puxando a questão do aborto, porque não falaram no crime eleitoral envolvendo o milhão de panfletos pagos pela Diocese de Guarulhos numa gráfica cujos donos são do PSDB e que Serra regulamentou o aborto no SUS?

Ao falarem do Paulo Preto, não perguntaram porque Serra, inicialmente disse que não o conhecia mas, depois que o primeiro mandou o recado "não se deixa um companheiro [companheiro!] ferido na estrada", o candidato dos franquistas não apenas passou a "conhecer" Paulo Preto, mas também lembrou que ele era "inocente"?

E quanto à nomeação da filha do receptador de jóias roubadas para cargo em comissão no Palácio Bandeirantes, porque não perguntaram quem foi o padrinho da nomeação, já que não se dá CC em palácio  para quem não se conhece?

Indagado sobre ter afirmado, em debate, que Marina e Dilma eram iguais e agora, no segundo turno, pedir votos aos eleitores de Marina, o sem-caráter chegou a dar um sorriso de satisfação, explicando que, na verdade, Marina é que disse que ele e Dilma eram iguais e que ele somente se defendeu, mas que respeita a Traíra, etc, etc, etc.
Por fim, deram a barbada para o Mentiroso falar sobre sua promessa irresponsável de aumentar o salário mínimo para 600 reais.

A coisa foi tão escancarada que Fátima Bernardes não conseguiu esconder um sorrisinho de satisfação no fim da "entrevista"". Deu vontade de vomitar.

Leia  a pouca-vergonha aqui

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

DILMA NOCAUTEIA NOVAMENTE O CASAL 20 DA GLOBO

Ovelha não é prá mato...


Percebendo que o casal 20 trapalhão da Globo estava tentando constrangê-la na entrevista feita durante o Jornal Nacional da noite de hoje, utilizando quase todo o tempo para fazer perguntas sobre o caso Erenice e a questão do aborto Dilma, percebendo a sacanagem, além de esclarecer cabalmente as perguntas-pega-ratão feitas pela dupla, partiu para o ataque, demarcando, com firmeza, a diferença entre a postura do governo Lula e o de Serra no que diz respeito à investigação de denúncias de irregularidades, deixando bem claro que no governo Lula elas são imediatamente encaminhadas para investigação pela Polícia Federal, enquanto que os tucanos - e citou literalmente o caso Paulo Preto, sobre o qual Serra ainda não se explicou - não fazem nada para investigar - até mesmo procuram abafar as denúncias de corrupção quando se trata da cambada deles.

Dilma entrou de forma tão precisa que o casal de bufões do JN, surpreendido pela postura da petista, novamente se atrapalhou, como ocorrera na entrevista feita antes do primeiro do turno, um cortando a fala do outro.

Novamente as toupeiras da Globo entraram pelo cano. Como se diz aqui no sul: "ovelha não é prá mato!"

Assista a íntegra da taquarada de Dilma na Globo aqui

domingo, 17 de outubro de 2010

TSE MANDA APREENDER PANFLETOS DA IGREJA CATÓLICA CONTRA DILMA

Foto surrupiada do Cloaca News

Acatando pedido do PT, o TSE concedeu liminar para a apreensão dos panfletos de autoria da Diocese de Guarulhos contra Dilma, colocando fim à farsa que estava sendo espalhada com o dinheiro dos católicos. Agora a Polícia Federal entrou no jogo para investigar a prática de crime eleitoral.

Leia no Terra


ATUALIZAÇÃO 17-10-10 - 18h12min

Seis perguntas urgentes para a Igreja Católica, por Saul Lebon, na Carta Maior:
1) Desde quando o bispo de Guarulhos tem dinheiro para imprimir dois milhões de panfletos?
2) Quem pagou?
3) De onde veio o dinheiro?
4) Em que conta da diocese ele foi depositado?
5) Quem orientou a assinatura da CNBB no panfleto?
6) Quem está instrumentalizando a diocese de Guarulhos contra Dilma Roussef em São Paulo?

Os brasileiros, em especial os católicos, esperam as respostas em breve, pois os fatos são conhecidos e os autores tem  nome, sobrenome e endereço certos.

monitor13: O DESMORONAMENTO MORAL DE JOSÉ SERRA

editorial do monitor13 publicado em 16/1010

   No dia de hoje, 16 de outubro, a sociedade brasileira tomou conhecimento de dois fatos emblemáticos desta campanha. Em São Paulo a polícia apreendeu em um gráfica 2,1 milhões de panfletos clandestinos contra Dilma a acusando de apoiar o aborto. Na edição de hoje a Folha de São Paulo traz matéria revelando que Mônica Serra, mulher de Serra, fez um aborto de um filho do candidato.
   O encontro destes fatos é emblemático por vários motivos. Em primeiro lugar, por a Folha de São Paulo demorar uma semana, após Sheila Canevacci, ex-aluna de Mônica Serra revelar o fato na internet. Uma semana de silêncio ensurdecedor da grande mídia de um fato decisivo sobre um tema trazido pela candidatura do próprio Serra ao centro do debate sucessório. Uma semana em que a blogsfera desvendava sozinha todo o caso, com outras alunas detalhando o relato de Mônica. Com nomes e sobrenomes ( Kátia Figueiredo, que mora atualmente na Suécia, Ana Carla Bianchi, Ana Carolina Melchert e Érika Sitrângulo Brandeburgo, entre outras estudantes, residentes aqui no país). Do resto da mídia nem uma palavra. Do Jornal Nacional nem um frame.
   O relato não tem nada de sensacionalista, ao contrário, é repleto de humanidade:
   Contou que, nas aulas, as alunas se sentavam em círculos, criando uma situação de intimidade. Enquanto fazia gestos de dança, Monica explicava como marcas e traumas da vida alteram movimentos do corpo e se refletem na vida cotidiana.
   Segundo a ex-estudante, as pessoas compartilhavam suas histórias, algo comum em uma aula de psicologia.
   Nesse contexto, afirmou, Monica compartilhou sua história com o grupo de alunas. Disse ter feito o aborto por causa da ditadura.
   Ainda de acordo com a ex-aluna, Monica disse que o futuro dela e do marido, José Serra, era muito incerto.
   Quando engravidou, teria relatado Monica à então aluna, o casal se viu numa situação muito vulnerável.
   "Ela não confessou. Ela contou", diz Sheila Canevacci.
   Outra aluna:
   - Eu confirmo aqui o depoimento da Sheila Ribeiro. Foi aquilo mesmo. A professora Monica Serra nos relatou que havia feito um aborto em um período difícil da vida do casal, durante a ditadura militar. Foi um fato tocante, que marcou a todas nós. Lembro-me que o assunto surgiu quando ela falava sobre a dissociação do corpo e a imagem corporal, que até hoje dirige meu comportamento – disse.
   Este fato dramático na vida de qualquer casal não deveria jamais frequentar as páginas do noticiário político, não fosse o fato do próprio casal casal ter transformado a campanha eleitoral em uma cruzada de moralismo tão oportunista quanto (sabemos agora) hipócrita. Uma campanha de panfletos apócrifos, de Mônica falando a um eleitor que Dilma é a favor de matar criancinhas, do obscurantismo cultivado pelos métodos mais baixos.
   Podemos não saber o tamanho eleitoral que Serra sairá desta eleição, mas sua estatura moral, sim. E ela é nenhuma.

INQUISIÇÃO + TFP + INTEGRALISMO = SERRA PRESIDENTE


O estouro da descoberta da gráfica paulista onde foram impressos, a pedido da Diocese de Guarulhos da Igreja Católica, dois milhões de panfletos contra Dilma, mostrou algo pavoroso: para além da mera baixaria eleitoral (coisa já altamente reprovável, especialmente em se tratando de órgão da Igreja), surge, no meio do barral, uma mescla monstruosa de relaçôes entre estes setores atrasados do clero católico e a extrema direita.

Que a sociedade Tradição, Família e Propriedade, a TFP, que puxara a "Marcha com Deus e a Família" em favor do golpe de 64, apoiava abertamente Serra, já era sabido, a partir dos panfletos que a entidade distribuiu na reunião de apoiadores de Serra ocorrida em brasília após o primeiro turno das eleições.

Mas a descoberta da gráfica onde parte dos impressos contra Dilma foram feitos (seriam 20 milhões, mas a gráfica só tinha suporte para imprimir dois milhões), foi revelado - documentadamente - que o representante  do Bispo de Guarulhos no negócio, Kelmon Souza, se comunicava com a gráfica através de um e-mail da "Associação Theotokos", da qual é presidente e cujo site, segundo o RegistroBR - pasmem -  se encontra em nome da Casa de Plínio Salgado, órgão congregador das viúvas do falecido chefe do fascismo brasileiro.

Esta história dá a dimensão das relações subterrâneas entre a parte mais reacionária do clero católico e instituições que sempre pregaram contra a democracia, ironicamente agora mobilizadas a favor do candidato que alega que se exilou devido ao golpe de 64. No desespero, vale tudo.

Matéria do NaMaria News levantada pelo Cloaca News

PRESIDENTE DO PSDB TAMBÉM TINHA ARRUDA ATRÁS DA ORELHA

Matéria assinada por Leandro Fortes na última edição da revista Carta Capital (no. 618), mostra que o senador Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB e coordenador da campanha de Serra andou cruzando pela usina de corrupção do DEM do Distrito Federal.

As informações, que igualmente colocam na mesma situação o senador José Agripino Maia, do DEM, foram tiradas de um cd contendo uma gravação de 46 minutos de áudio e vídeo apreendida pela Polícia Federal, através da Operação Caixa de Pandora,  no gabinete de Fábio Simão, então chefe de gabinete do ex-governador José Roberto Arruda.

Na gravação, uma mulher de nome Dominga, que trabalhava numa firma contratada pela empresa Qualix, responsável pela coleta de lixo no DF e apontada como um dos centros do esquema de corrupção do DEM em Brasília, informa detalhes precisos das operações de distribuição do dinheiro sujo a partir de ligações telefônicas que fazia a diversas pessoas, dentre elas os senadores Guerra e Maia para os quais, segundo a funcionária, eram para quem ela mais ligava, juntamente com Joaquim Roriz.

As declarações da funcionária dão detalhes surprendentes como, por exemplo, que o dinheiro a ser distribuído aos políticos do esquema era acondicionado em caixas-arquivo de papelão contendo 50 mil reais cada e que eram distribuídas, inclusive, no estacionamento do restaurante Piantella, famoso em Brasília pelos vinhos caros e pela freqüência de políticos.

A matéria da Carta Capital mostra mais uma vez que os velhos moralistas do PSDB sempre estiveram, ao contrário do que proclamam, atolados no lodo da corrupção.

Para o presidente do PSDB e chefe da campanha de Serra, arruda, desta vez, não está dando sorte...

Leia a matéria completa da Carta aqui

sábado, 16 de outubro de 2010

SETE PERGUNTAS PARA SERRA SOBRE PAULO PRETO

img1.jpg
A revista ISTOÉ desta semana faz sete perguntas a Serra sobre a rocambolesca história das relações dele, da sua campanha e do PSDB com o engenheiro Paulo Souza, o "Paulo Preto", que foi denunciado pelo próprio vice-presidente tucano, Eduardo Jorge (sim, ele mesmo!) e pelo tesoureiro do partido por haver tomado 4 milhões de empreiteiras em  nome da campanha do Zé Baixaria e depois sumido com o dinheiro.

Publicada a denúncia pela revista em agosto passado, estranhamente sem qualquer repercussão nos jornalões e tvs, Dilma cobrou a explicação de Serra no debate do segundo turno da Band, deixando o candidato da TPF gaguejando. Até agora, ele somente se esquivou do assunto, ora dizendo uma coisa, ora outra, na medida em que Paulo Preto faz ameaças aos tucanos.

A cobrança pelas respostas a estas perguntas deve ser implacável.  Serra se revela na sua inteireza.

Quem levantou a bola foi o RS URGENTE

O quadro ao lado foi reproduzido do site da ISTOÉ


ATUALIZAÇÃO EM 17-10-10 - 16H30MIN

Mais uma perguntinha para o Zé Mentira: quando nomeou a filha do Paulo Preto para o cerimonial do Palácio Bandeirantes no primeiro mês do seu mandato de governador, ele não sabia de quem se tratava? Não? Mas que coincidência!!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

PERDEDORES NO RS APOIAM SERRA

Foto: Cacalos Garrastazu/Obrito News/Divulgação

Muito sorriso e nada de apoio...

Em agenda cumprida nesta semana em Porto Alegre, Serra conseguiu um  feito: o apoio daqueles que foram mandados para casa pelo voto dos gaúchos que resolveram, já no primeiro turno, confiar a Tarso Genro a hercúlea tarefa (nada fácil, depois dos governos de Rigotto e Yeda) de restaurar a dignidade do Rio Grande do Sul. 

Os apoios são de peso (tão pesados que afundaram nas urnas): PSDB (este, apesar de parecer óvio, não é tão assim - lembrem-se que Serra, quando vem ao Estado, passa longe da Yeda), DEM, PP (não todo, especialmente após o apoio nacional à Dilma), alguns nanicos e - deixado de propósito para o fim, porque merece menção especial,  - PMDB.

Ocorre que até as águas do Guaíba sabem que, além do Dep. Mendes Ribeiro Filho (que estava na reunião de mobilização pluripartidária a favor da petista ocorrida ontem, nesta Capital, e que contou com mais de 2.500 participantes) e um grupo considerável de prefeitos e vereadores, todos os demais caciques (quase todos derrotados nas urnas) do PMDB já apoiavam Serra desde sempre, incluindo o "imparcialmente ativo" José "Quick" Fogaça.

Mas, segundo um arguto observador da cena peemedebista, mesmo tendo Serra convidado Fogaça para o seu ministério, com a criação da pasta da "Imparcialidade Ativa"*, este não declarou o apoio no ato (que dificuldade!), prometendo fazê-lo nos próximos dias. Alguém tem que avisar Fogaça que ele tem apenas quinze dias para se declarar, porque eleição é que nem enterro, não adianta chegar atrasado.


* a "imparcialidade ativa" (a expressão é deles), mantra do "credo do muro", foi a idiotice criada por Simon, Fogaça e outros espertos do PMDB guasca, para tentar tirar uma casquinha por todos os lados na eleição presidencial. Deu no que deu.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

DILMA, FINALMENTE, É DILMA!

Dilma mostra que firmeza não é agressividade

Foi premonitório. Na edição da Carta Capital desta semana (distribuída antes do debate de ontem, na Band), tanto Mino Carta, em editorial, como Maurício Dias, na sua coluna "Rosa dos Ventos", apontaram, com precisão, a necessidade de Dilma "ser ela mesma", afastando aquela sensação de estar constantemente "travada" que a futura presidente da República vinha passando nos debates, culminando no último confronto do primeiro turno, na Globo, onde Dilma apareceu falando aos trancos, tensa como se estivesse seguindo um script que não seria exatamente o seu.

Achando que a eleição estava ganha e preocupados excessivamente em desfazer a imagem de durona e intransigente criada pela mídia golpista, os marqueteiros e a turma do PT que cerca a candidata, com Palocci e aquele seu jeitinho aveludado e insosso à frente, interditaram à Dilma a sua marca fundamental, a de mulher guerreira e assertiva, características que, aliadas à sua alta capacidade de trabalho a fizeram a escolhida de Lula para a disputa pelo terceiro mandato. O resultado é sabido: a direita brucutu e o medievo religioso deitaram e rolaram, sem que houvesse uma reação a tempo e à altura das barbaridades que vinham sendo ditas e derramadas na internet sobre Dilma.

Mas ontem, a coisa mudou de figura: Dilma encarou Serra de frente, cobrando dele as infâmias que juntamente com os demais acólitos da súcia demotucana vem disseminando contra a petista, e também desmascarando a postura privatista do candidato da nova UDN, que não contente com o torra-torra do parimônio público da era FHC, do qual ele foi um dos mais entusiasmados - palavras do próprio FHC - agora já pensa em passar nos cobres o pré-sal, tarefa a cargo do ex-genro de FHC, que presidiu a ANP no governo do próprio (ah, naquela época não davam cargos para parentes), e principal assessor de Serra na área de energia.

Serra se engasgou, gaguejou, não foi capaz sequer de defender a mulher quando Dilma denunciou-a como  difamadora, e tudo o que conseguiu dizer é que Dilma estava agressiva e que havia sido "treinada", denotando ainda a sua visão preconceituosa e machista: se a mulher se mostra firme e assertiva, é porque foi "treinada". Não sobrou muita coisa de Serra no fnal do debate.

Ao se libertar das amarras que a impediam mostrar a sua personalidade firme e combativa, sem descer à baixaria, Dilma de um também um recado à militância, que parecia ainda meio aturdida com a ida para o segundo turno: é preciso ir para a rua e disputar cada voto até o dia 31.

SERRA TEM UMA IDÉIA 'JENIAL' PARA AUMENTAR A VOTAÇÃO NO SEGUNDO TURNO

Jesus, porque não pensei nisto antes?

sábado, 9 de outubro de 2010

ANAUÊ, SERRA!

Depois da TFP, Serra vai desenterrar Plínio Salgado e os galinhas-verdes...
As águas correm para o mar, e Serra correu para sentar de vez no colo da velha direita. Ao tentar trazer para o centro do debate eleitoral a questão do aborto, e o que é pior, da forma mais simplória e desqualificada possível, na base do a-favor-ou-contra, Zé Baixaria demonstra que seu programa (? ) não convenceu a população e passa a jogar com o que tem de pior para tentar ao menos diminuir o tamanho do vexame da iminente derrota para Dilma.

Que sua vida pública sempre demonstrou seu alinhamento com o pensamento conservador, é fato sabido, pois foi privatizador e seu governo reprimiu professores, dentre outros feitos do mesmo jaez. Sua mulher, Mônica, já tinha chamado os beneficiários do Bolsa-Famíia de vagabundos. Ao contrário do que disse na propaganda eleitoral na tv, Zé Mentira não foi "o melhor deputado da constituinte". Como mostrado pelo Cloaca News, Serra ganhou uma sofrível nota 3,75 na avaliação do DIEESE, por ter votado contra a maioria dos direitos sociais do trabalhadores. Ou seja, chega de direitos para a escumalha.

Seu parceiro de chapa, Indio-sem-flecha, do DEM de herr Borhausen, é outro rematado reacionário. Suas recentes declarações de que Serra vetaria o projeto que criminaliza a homofobia dão a dimensão do seu caráter intolerante e preconceituoso, para ficar no mínimo.

Este show da fé no estilo do reacionarismo mais tacanho conseguiu resultados memoráveis. Zé Baixaria consegjuiu acordar do sono eterno nada menos do que a associação "Tradição, Família e Propriedade", a TFP das marchas com Deus e a Família, guilda do reacionarismo católico e linha de frente do golpe de 64. Seu companheiro de partido, e cabo eleitoral de ocasião, Chuchu Alkmin, tem carteirinha de sócio remido da Opus Dei. Mas não para apor aí. Zé Perdedor também conseguiu o apoio dos setores mais atrasados do neopentecostalismo, que nem de longe representam os evangélicos (a própria Marina não vem desta vertente), resultando tudo isso num caldo pegajoso e fedorento de atraso e preconceitos elevados à condição de postura política.

Só falta agora o neo-galinha-verde-tucano (sim, é uma ave híbrida) receber o apoio público dos skinheads.

Anauê, Serra!

QUEM SÃO OS ELEITORES DE MARINA?

Ao contrário do que sempre desejam os perdedores, o segundo turno não é um novo pleito, do ponto de vista do "zeramento" absoluto da situação dos candidatos que chegam a esta fase da disputa.

Na verdade, os candidatos trazem consigo a respectiva "fortuna eleitoral", traduzida não apenas pelos votos obtidos no primeiro turno, como também pelo conjunto de percepções passadas à sociedade pelo candidato na campanha da primeira fase do pleito. Nesta eleição, embora exista, em tese, a possibilidade de alterações no quadro eleitoral, as chances de que isso ocorra de forma substancial são remotas, especialmente se considerarmos a razoável distância que separa Dilma de Serra: 46,91% x 32,61%, o que corresponde a 14 milhões e meio de votos, ou o eleitorado inteiro de Minas Gerais.

É certo, por outro lado, que não podem ser desprezados os quase vinte milhões de votos de Marina. Esse eleitorado também tem que ser conquistado. Mas afinal, quem são esses eleitores?

Análises apressadas atribuem, ora com ênfase numa ou noutra causa, a frustração da vitória de Dilma no primeiro turno às questões religiosas suscitadas a partir da campanha difamatória derramada pela internet. Também a questão ambiental teria influenciado o resultado. Os descontentes com a "realpolitik" (incluído aí as denúncias contra o governo federal) teriam igualmente influenciado o resultado.

Mas, na verdade, nem todas as causas apontadas têm o peso que lhes é atribuído. Embora se afirme que a campanha difamatória espalhada pela direita contra Dilma na internet tenha trazido prejuízos eleitorais em determinados segmentos mais conservadores, a análise feita por Antonio Luiz M. C. da Costa, na Carta Capital, sob o título "O voto em Marina não é ecológico, mas também não evangélico" traz elementos importantes ao debate.

Segundo Costa, o voto em Marina pode advir da nova classe média. "É uma camada principalmente urbana, que progrediu em relação aos pais pobres e mal educados, tem certa educação, até superior, está decentemente empregada e precisa cada vez menos de programas sociais como o Bolsa-Família, do SUS ou de novos projetos de saúde e saneamento. Ao mesmo tempo, é mestiça, não está à vontade com a 'alta cultura', tem gostos populares e se sabe desprezada pela elite tradicional. Não se identifica totalmente com as prioridades da esquerda – redução da desigualdade e crescimento econômico – mas também não com as da direita – conservação de privilégios disfarçados em competência e meritocracia. Busca um meio-termo que, assim como Marina, não sabe definir com precisão e chama de 'mudança'."

A análise feita por Costa é importante para a compreensão do momento porque, como sabemos, a classe média é uma "classe de acesso", e quem chega a ela percebe que pode ir além, aspecto que explica um certo descompromisso dos integrantes deste estamento social com outros pressupostos que não sejam os seus interesses mais ou menos imediatos e pode ser influenciada por vagas promessas de "mudança" e de ela "pode mais", embora isto não seja explicitado por quem promete.

Para nós, militantes de esquerda comprometidos com a defesa das conquistas do governo Lula, esta constatação traz, num primeiro momento, uma certa frustração, pois gostaríamos que todos os beneficiados pelas políticas públicas que possibilitaram a melhoria das condições de vida de milhões de pessoas reconhecessem claramente isto e, por conseqüência, se alinhassem de pronto ao projeto da continuidade da era de avanços inaugurada por Lula. Isto é verdade em relação a um grande contingente do eleitorado, tal é que resta induvidosa a vitória de Dilma neste segundo turno, pois não há fato com potência suficiente para catalisar 14 milhões de novos votos em torno de Serra. Mas no que respeita a uma parcela considerável desta "nova classe média", não é assim. Atrair a classe média na hora do voto é algo sempre complicado.

Nesta perspectiva, é errado pensar que a votação de Marina é "verde" ou "religiosa". Segundo o autor, "Esta interpretação se reforça quando se desce ao detalhe dos votos por município. Recife, capital do estado natal de Lula, não tem uma proporção excepcional de evangélicos pelos padrões brasileiros: apenas 17,6%. Mas 37% dos recifenses votaram em Marina (42% em Dilma, 19% em Serra). Já o município pernambucano de Abreu e Lima, o mais evangélico do estado (31,2%) teve 27% de votos em Marina, 52% em Dilma e 15% em Serra. No Rio de Janeiro, Marina teve 29% em um município de alta concentração de evangélicos (30%) como Belford Roxo, 32% na capital (17,7% evangélica) e 37% em Niterói (15,3% evangélica), enquanto Dilma teve 57%, 43% e 35%, respectivamente, nesses municípios (e Serra 12%, 22% e 25%)."

No que respeita ao argumento verde, basta verificar a pífia votação dos demais candidatos do PV a cargos majoritários ou proporcionais para constatar que, enquanto opção política, o ambientalismo está longe de mobilizar prioritariamente a população brasileira. Nesta perspectiva, voto em Marina sob este fundamento é secundário.

Assim, a busca pelos votos de Marina, além do enfrentamento da campanha de mentiras disseminadas contra Dilma pela direita brucutu (o que finalmente está sendo feito), deve dialogar fortemente com as aspirações da nova classe média, que se situa politicamente ao centro (ainda que não tenha consciência disto) e oscila a cada pleito.

Dilma deve reforçar que o projeto da continuidade ampliada do governo Lula é a garantia da possibilidade do progresso das pessoas nas suas legítimas aspirações.

Leia a íntegra do artigo de Costa aqui.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

DESMENTINDO OS BOATOS

Dilma em encontro com líderes religiosos: ela não come criancinhas...

Finalmente, depois de deixar correr solta a boataria difamatória contra Dilma na internet durante o primeiro turno, a coordenação da campanha petista resolveu, a exemplo do que já havia feito Barak Obama na sua eleição, criar um link no site da campanha de Dilma no qual são desmentidas as informações falsas disseminadas na internet contra a candidata.

No link "Em nome da verdade" são esmagadas as calhordices e infâmias espalhadas pela direita brucutu contra Dilma.

É tarefa dos blogueiros progressistas divulgar o link acima para aplicar o contraveneno às baixarias na rede!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

NEM A TURRONA, NEM O BONZINHO: GAÚCHOS APOSTAM NA COMPETÊNCIA E NO DIÁLOGO

A estupenda vitória de Tarso Genro para governador do RS no primeiro turno (algo impensável por aqui), remete a algumas reflexões acerca das transformações na forma de fazer política no RS.

Nesta eleição, além de Tarso, disputaram dois velhos conhecidos dos gaúchos: a atual governadora Yeda Crusius (PSDB) e o ex-prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB).

A primeira, turrona e bravateira, fez um governo medíocre, marcado por escândalos de corrupção (somente a Operação Rodin, da PF, levantou desvios de 44 milhões no DETRAN gaúcho), além de um mal-explicado investimento imobiliário (comprou uma mansão logo após ganhar a eleição, tendo um salário - ela e o ex-marido - de professores universitários aposentados), justificado com uma labiríntica operação de compra e venda de outros imóveis com familiares de um secretário do seu governo. Além disso, passou o governo todo em pé-de-guerra com a maior parte do funcionalismo público do Estado. Perseguiu freneticamente o "equilíbrio fiscal", cortando programas sociais e contigenciou verbas para a educação e a saúde. Termina o governo com o escândalo da arapongagem na Casa Militar, onde servidores de escalões inferiores do órgão e até - pasmem - jornalistas da "ética" RBS detinham senhas de acesso ao Sistema de Consultas Integradas da Secretaria de Segurança, que permitiam o acesso a informações sigilosas de quaisquer cidadãos.

Fogaça encarnou a figura do bonzinho, com uma conversinha mole de "união do Rio Grande" e que iria "aproveitar as boas iniciativas dos governadores que o antecederam", versão aprimorada do famoso "fica o que está bom, muda o que não está", bordão que já tinha lhe rendido duas eleições para a Prefeitura da Capital gaúcha. Governante medíocre e sem a menor aptidão para a exercício do Executivo, deixou sua administração correr frouxa, permitindo o surgimento de "ilhas" ocupadas por grupos cujas ações resultaram em graves denúncias de corrupção, como os escabrosos casos da Secretaria da Saúde, um deles envolvendo o assassinato do próprio secretário e as conversas gravadas envolvendo o seu Secretário mais próximo e um empresário local interessado nas licitações no milionário "Programa Integrado Sócio-Ambiental" (PISA), destinado ao tratamento de esgotos. Famoso por ficar sempre em cima do muro, conseguiu a façanha de ficar "imparcialmente ativo" (seja lá o que isso signifique) na eleição presidencial, não apoiando publicamente nenhum candidato, coisa que gaúcho detesta.

Tarso chegou à campanha trazendo uma volumosa bagagem de projetos exitosos desenvolvidos nos ministérios que ocupara no governo federal, tais como o ProUni e PRONASCI. Tarso, além de apresentar projetos de governo consistentes, se qualificou como o único interlocutor capaz de estabelecer um diálogo com todos os setores da sociedade gaúcha, dos pequenos agricultores ao empresariado industrial, propondo parcerias com o governo federal para o desenvolvimento do Estado.

Os gaúchos, cansados de uma espécie de bipolaridade que colocava o Rio Grande quase sempre de costas para o Brasil, nem hesitaram: votaram maciçamente em Tarso, liquidando a fatura ainda no primeiro turno. Mostraram que não querem mais nem turrões, nem bonzinhos, querem se reconciliar com um Brasil que progride, melhora a vida de milhões de pessoas e aposta no futuro.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

UM BALANÇO INICIAL DO PRIMEIRO TURNO

artigo de Emir Sader publicado no RS Urgente

"A esquerda teve o melhor resultado eleitoral de sua história: Dilma em primeiro lugar, governadores no Rio Grande do Sul, na Bahia, em Pernambuco, no Ceará, no Espírito Santo, Sergipe, Acre, boas possibilidades no Distrito Federal, possibilidades ainda no Pará, e renovação com grande bancada no Senado e grande aumento nas bancadas parlamentares na Câmara.

A frustração veio da expectativa criada pelas pesquisas de uma eventual vitória no primeiro turno para presidente. Uma análise mais precisa é necessária, a começar pelo altíssimo numero de abstenções e também dos votos nulos e brancos que, somados, superam um quarto do eleitorado. Mas também dos efeitos das campanhas de difamação – sobre o aborto, luta contra a ditadura, etc., assim como o efeito que o caso da Erenice efetivamente teve para diminuir o resultado final da Dilma."

Leia a íntegra do artigo aqui

sábado, 2 de outubro de 2010

ALI KAMEL PRESTA O ÚLTIMO SERVIÇO PELO SEGUNDO TURNO


Kamel e Bonner "acertam" as pesquisas...
A Globo joga a última cartada para tentar levar a eleição para o segundo turno: apresentou duas pesquisas (Datafolha e IBOPE) com números estranhamente IGUAIS:

IBOPE
Dilma: 47% (51% válidos);
Serra: 29% (31% válidos);
Marina: 16% (17% válidos);

Datafolha
Dilma: 47% (50% válidos);
Serra: 29% (31% válidos);
Marina: 16% (17% válidos);

As pesquisas dos institutos da direita sempre mostraram disparidades. Mas agora, na última hora, se encontraram para um cafezinho na mesa do Ali Kamel, saindo de mãos dadas para dar o último golpe.

E isso tudo depois do JN mostar, na "Semana dos Candidatos", uma Marina ao mesmo tempo meiguinha e valente, nos braços do povo e, incansavelmente cruzando o Brasil de ponta a ponta, inclusive emagrecendo, a coitadinha, que já é tão magrinha, ao contrário de Dilma, que engordou, como mostrou o Jornal da Mentira. Aliás, vocês viram as torneiras douradas do jatinho de 50 milhões de dólares que a menina-pobre-da-floresta está usando na campanha? O Conversa Afiada conta a historia do aviãozinho.

Mas todos já sabem Marina não é, na verdade, a nova candidata da direita: ela apenas está sendo usada para tentar levar o fracasso chamado Serra ao segundo turno. Mas a trouxa está adorando, e o que é pior: passou a pagar o favor, papagaiando o discurso da direita brucutu..

A única pesquisa destoante da canalhice em curso é a da Vox Populi, que guarda coerência com a série histórica apresentada, que demonstra variações, mas sem grandes sobressaltos, ou seja, nada que ameace a vitória de Dilma já no primeiro turno:

Vox Populi/iG/Band
Dilma: 47% (53% válidos);
Serra: 26% (30% válidos);
Marina: 24% (16 válidos).

Bem que Paulo Henrique Amorim avisava no Twitter momentos antes do JN: "cuidado com a baixaria Datafalha e Globope". Ali Kamel acaba de ganhar mais uma medalhinha. Mas não vão levar, não. É que eles esqueceram de combinar com os russos, digo, com o povo brasileiro, que não entra em maracutaia golpista e já fez a sua escolha há tempos pela continuidade do Governo Lula com Dilma.

PREVISÃO DO TEMPO NO RS: MASSACRE ELEITORAL!

Tarso: mais folgado que bombacha de gringo...

Duas pesquisas divulgadas neste sábado mostram que Tarso Genro vai descontar a fatura no primeiro turno.

IBOPE/RBS:
Tarso: 48% (52 % válidos);
- Fogaça: 26% (28% válidos);
- Yeda: 15% (16 % válidos).

Instituto Methodus/Correio do Povo:
Tarso: 51% (54,9% válidos);
- Fogaça: 24,6% (26,4% válidos);
- Yeda: 14,3% (15,3% válidos).

SENADO

Para o Senado, Paulo Paim igualmente garante a sua vaga, e mais: deverá ultrapassar a candidata do latifúndio, Ana Amélia e deixar o murista Rigotto comendo poeira.

IBOPE/RBS
- Paim: 52%;
- Ana Amélia: 52%;
- Rigotto: 39%.

Instituto Methodus/Correio do Povo:
Paim: 56,6%;
- Ana Amélia: 52,4%;
- Rigotto: 35,9%.

DILMA TAMBÉM SEGUE NA FRENTE DO RS

IBOPE/RBS: Dilma tem 42,2%, Serra 37% e Marina 12,3%.

Methodus/Correio do Povo: Dilma com 47%, Serra 37% e Marina 9%.

Demorou um pouquinho, mas a gauchada se acordou!

Veja as pesquisas completas:
Methodus/Correio do Povo
IBOPE/RBS: governo do Estado , Senado e Presidente


ATUALIZAÇÃO - 02/10 - 18H

Pesquisa do Datafolha corrobora as amostragens do IBOPE e do Instituto Methodus e confirma que amanhã Tarso será o novo governador do Rio Grande, e Paim garantirá a continuidade do seu trabalho em defesa dos trabalhadores no Senado:

Tarso: 55% válidos;
Fogaça: 27% válidos;
Yeda: 16% válidos.

Paulo Paim: 53%;
Ana Amélia: 48%;
Rigotto: 37%;

Veja a pesquisa aqui

Deu prá eles. Tarso, o primeiro governador do RS eleito no primeiro turno. Paim dá show de garra nesta eleição. É a redenção do PT gaúcho. A velha mídia decadente não faz mais a cabeça de ninguém.

AGORA VAI: PALHAÇO PIRULITO APOIA SERRA

Só faltava esse apoio...

E quem afirma não é um apenas mais um "blog sujo e pé-de-chulé": é nada menos que a Veja, o panfleto semanal da nova UDN.

Na falta de fatos novos que possam turbinar a candidatura já-era do Zé Mentira, Veja se supera: noticia o apoio, a Serra, do Palhaço Pirulito, de São Paulo, o qual se disse "eleitor tucano desde sempre". Talvez aí resida uma das razões do sucesso de Zé Chirico: o preferido dos palhaços.

Aliás, na mesma matéria, Veja registra que Zeca Lúnia disse que "O Brasil precisa de um governo de mãos limpas." Certamente não serão as dele, borradas (eufemisno elegante), depois daquela ligação para o Dr. Gilmar pedindo uma forcinha para azarar o voto dos sem-diploma.

A pérola foi descoberta pelo "indormível" Cloaca News.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

LULA :"ACABOU O TEMPO EM QUE A 'CASA GRANDE' DIZIA O QUE A SENZALA TINHA QUE FAZER, ACABOU".

texto transcrito da Carta Maior

foto: Carta Maior
Em entrevista concedida à Carta Maior e aos jornais Página/12 (Argentina) e La Jornada (México), na manhã desta quinta-feira, em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço de seus oito anos de governo e as mudanças que esse período trouxe para o país e para a América Latina. Na conversa, entre outros assuntos, o presidente fala sobre o aprendizado que teve neste período - "Quando você está no governo, você não pensa, você não acha e você não acredita; você faz ou não faz. E o governo é um eterno tomar de posição – sobre a relação com os meios de comunicação – Se dependesse da imprensa eu teria 10% de aprovação, ou menos – e sobre o compromisso assumido pela esquerda na América Latina: A esquerda, na América Latina, fez uma opção pela democracia, e está chegando ao poder em vários países pela via da democracia. E quem dá golpe não é a esquerda. Não foi ninguém de esquerda que deu o golpe em Honduras."

Leia a entrevista completa no site da Carta Maior